Cesárea: 10 coisas que você precisa saber sobre este parto

Por: Bruna Romanini

Cesárea dói? Quais os riscos? Como fica a barriga? E a cicatriz? Esclareça todas as suas dúvidas a seguir

A cesárea é um procedimento cirúrgico que permite o nascimento do bebê por meio de uma incisão feita no abdômen da mãe e no seu útero. A recomendação é que este parto seja realizado apenas quando o parto normal não é possível. Nestas situações a cesárea é muito importante e salva vidas. Porém, quando feita sem real necessidade, ela oferece maiores riscos para a mãe  e o bebê quando comparada ao parto normal. Este tipo de parto é uma cirurgia, portanto, é realizada no hospital.

Se você está grávida, é importante se informar sobre como é realizada a cesárea, o que você irá sentir, os cuidados necessários antes e após, entre outras questões. Esclareça todas estas dúvidas e saiba tudo sobre a cesárea a seguir:

Quando a cesárea é indicada

A cesárea é indicada em algumas situações específicas. Confira a seguir quais são as principais delas:

Sofrimento fetal agudo ou frequência cardíaca fetal não tranquilizadora: esta é uma recomendação para a cesárea, mas é importante ressaltar que frequentemente ela é diagnosticada de forma equivocada.

Prolapso de cordão com dilatação não completa: isto consiste em uma posição anormal do cordão na frente da parte de apresentação fetal. Por isso, o bebê acaba comprimindo o cordão durante o trabalho de parto e isto pode causar problemas.

Bebê na posição transversal: Quando o bebê está na posição transversal e o médico não conseguiu virá-lo antes do parto, a cesárea pode ser necessária.

Herpes genital com lesão ativa: neste caso a cesárea é necessária para evitar que o bebê contraia a doença.

Falsas indicações para a cesárea

Infelizmente, existe uma série de falsas indicações de cesárea que são feitas por muitos profissionais da área da saúde. Estes profissionais costumam se valer destas falsas indicações principalmente por uma questão de tempo. Afinal, um parto normal dura em média doze horas, enquanto uma cesárea dura um hora.

Além disso, falsas indicações para cesárea agendada também são feitas por muitos médicos para evitar um parto em dias e horários que não seriam agradáveis para eles, como um feriado ou final de semana ou um parto de madrugada.

Algumas das falsas indicações de cesárea mais frequentes são:

  • Circular de cordão, isto vale para uma, duas e três voltas em torno do pescoço do bebê
  • Aceleração dos batimentos fetais
  • Adolescência
  • Anemia falciforme da mãe
  • Anemia ferropriva da mãe
  • Anencefalia
  • Asma da mãe
  • Baixa estatura materna
  • Mãe de baixo peso
  • Bebê profundamente encaixado
  • Bebê que não encaixa antes do trabalho de parto
  • Bebê grande demais. A cesárea só é indicada em casos de diabetes materna em que o bebê é maior do que 4,5 kg.
  • Bebê pequeno demais
  • Bebê engolindo o líquido amniótico
  • Cardiopatia da gestante
  • Uma cesárea anterior
  • Candidíase
  • Cirurgia gastrointestinal prévia
  • Colestase gravídica
  • Coleta de sangue do cordão umbilical para o congelamento e preservação de células-tronco
  • Colo do útero grosso, colo posterior, colo duro, colo alto e colo curto

Os riscos da cesárea desnecessária

Quando a cesárea é realizada sem necessidade, especialmente quando ela é agendada e ocorre sem a mulher ter entrado em trabalho de parto, existem muitos riscos. Tanto o bebê quanto a mãe correm maiores riscos quando passam por este tipo de parto.

Os riscos da cesárea desnecessária e agendada para a mãe são:

Maior risco de morte para a mãe

Segundo o Ministério da Saúde, que acompanhou parturientes entre 2000 e 2011, o risco de morte materna de quem realiza este parto cirúrgico é cerca de 3,5 vezes maior do que das mulheres que optaram por parto normal. Isto ocorre principalmente porque trata-se uma cirurgia e a mulher corre maior risco de contrair infecções.

Recuperação materna após o parto é mais devagar

Como este parto é uma cirurgia, o tempo de recuperação da mulher é muito maior do que quem realizou um parto normal.

Descida do leite demora mais

A ocitocina que é liberada no parto normal irá contribuir para uma descida mais acelerada do leite materno. Mulheres que se submetem a cesárea não liberam este hormônio, portanto a descida do leite pode ser mais lenta.

Os riscos da cesárea desnecessária e agendada para o bebê:

Maior risco do bebê nascer prematuro

A cesárea desnecessária e agendada aumenta o risco do bebê nascer prematuro. “É preciso ter certeza do tempo da gravidez para marcar uma cesárea. Ela não pode ser agendada com menos de 39 semanas. Existe uma fase de transição em que o bebê não está totalmente maduro do ponto de vista do pulmão e esta é a maior causa de mortalidade entre os recém-nascidos que vem ao mundo fora do tempo”, explica o ginecologista obstetra Sérgio Floriano Toledo, professor de obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas de Santos e diretor da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo.

Maior risco do bebê ter problemas respiratórios

O parto normal contribui para a melhor respiração do recém-nascido. O processo de passagem do bebê pelo canal vaginal durante o parto normal é importante porque esta compressão ajuda o pequeno a colocar para fora todo o líquido dos pulmões. Portanto, ele já nasce respirando melhor. “O trabalho de parto é o processo final de amadurecimento pulmonar”, constata a médica Carmen Simone Grilo, professora do Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Assim, os riscos de complicações respiratórias quando o bebê nasce de um parto cesárea são maiores.

Maior risco de obesidade para os bebês

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP) constatou que o parto cesárea aumenta o risco de obesidade em adultos jovens. Isto porque a cirurgia faz com que ocorram mudanças na microbiota intestinal dos bebês. Afinal estas crianças nascidas por meio de uma cesárea não passaram pelo canal vaginal, como acontece com os pequenos que vieram ao mundo via parto normal.

Parto cesárea dói?

Este tipo de parto em si não dói. Isto porque durante todo o procedimento a mulher está acordada, mas sob o efeito de analgesia. Contudo, o pós-parto da cesárea costuma doer e este incomodo dura alguns dias.

Dor no pós-parto cesárea

Muitas mulheres costumam se preocupar com a dor do parto normal. E acaba criando-se o mito de que o parto cesárea não é dolorido. De fato, este parto em si não dói, mas o pós-parto dele costuma doer. E tende a ser muito mais difícil e dolorido do que o pós-parto normal.

Afinal, trata-se de uma cirurgia e, como toda a cirurgia, o período após o procedimento que causa dor no pós-operatório. Então, nos dias após o parto a mulher pode sentir dor em torno de onde foi feito o corte da cesárea. E esta dor pode acabar até limitando os movimentos da mulher.

Além disso, a mãe também pode sentir outros incômodos logo após  a cirurgia, como: coceira e também enjoos, isto ocorre devido à anestesia. Nos dias após o procedimento, a mulher também pode ter gases, constipação e sentir bastante cansaço.

Existe uma crença entre muitas pessoas de que o parto normal é um parto dolorido, enquanto a cesárea é uma opção sem dor. Mas, conforme apontado acima isto não é verdade. Claro que existem pessoas que não sentem dor após esta cirurgia, mas é uma minoria.

A dor do parto normal e do pós-parto cesárea são apenas dores diferentes. Sendo que no caso do parto normal, a dor ocorre durante as horas do parto, já a cesárea pode causar uma dor que dura vários dias, até semanas.

Também é importante deixar claro que assim como na cesárea, a analgesia também pode ser dada no parto normal. A única diferença é que a raquianestesia ou peridural no caso do parto normal é dada em menores quantidades para que a mulher consiga se movimentar. Mesmo assim, a mulher NÃO sente dor quando recebe a peridural ou raquianestesia no parto normal. É um direito da mulher receber a raquianestesia ou a peridural no parto normal caso ela queira. E uma das vantagens é que no pós-parto normal a mulher não sentirá a dor que pode ocorrer no pós-parto cesárea.

Cuidados antes da cesárea

Caso a mulher passe por uma cesárea necessária, existem grandes chances dela ser feita de emergência, ou seja, com a mulher já em trabalho de parto. Nestes casos, não há preparação que a mulher possa ter feito antes para este procedimento.

Se este tipo de parto for agendado, o médico pode realizar um exame de sangue na mulher a fim de checar se ela está com anemia. O médico também pode indicar alguns medicamentos para a mulher tomar antes da cirurgia, como algum antibiótico. E ainda pode ser pedido que a mulher fique sem beber e comer algumas horas antes da cirurgia. O médico irá dizer quantas horas antes do procedimento a mulher deve parar de comer e de ingerir líquidos.

Como é feita a cesárea

Antes deste parto, uma pequena sonda será inserida até a sua bexiga. Este procedimento é desconfortável, mas é necessário esvaziar a sua bexiga para esta cirurgia. Uma pequena quantidade do seu pelo pubiano pode ser cortada no local onde o corte da cesárea será feito.

Na cesárea a anestesia pode ser feita com a peridural, a raquianestesia ou o duplo bloqueio, uma combinação entre os dois anestésicos. Todos estes métodos são aplicados na região lombar. A raquianestesia é caracterizada por ter um efeito mais rápido, porém com duração menor. Enquanto a peridural demora mais tempo para agir, mas seu efeito é longo. Em todos os casos, a mulher não consegue mexer as pernas, mas está consciente.

Em alguns casos muito raros, a anestesia geral pode ser feita. Nestas situações, a mulher dorme durante a cesárea.

Após a anestesia, é feita uma incisão na região conhecida como linha do biquíni, são cortadas oito camadas de tecido até chegar ao útero. Após isso, caso a bolsa ainda não tenha rompido, ela é estourada e o bebê e a placenta são retirados.

A incisão geralmente tem entre 10 e 20 centímetros e costuma ser um corte horizontal que fica abaixo da linha do biquíni, mas em algumas raras situações o corte vertical pode ser feito.

Você não irá ver o corte sendo realizado porque é colocada uma pequena cortina que impede que você veja a cirurgia.

Logo após o nascimento, caso o bebê esteja saudável, o esperado é que ele vá direto para a mãe e mame no peito em sua primeira hora de vida.

Saiba que tanto durante a cesárea quanto durante o parto normal a mulher pode sentir tremores. Uma pesquisa publicada na revista científica Acta Obstetricia et Gynecologica Scandinavica descobriu que os tremores durante o parto podem ter relação com o fato de que um pouco de sangue do bebê é passado para a mãe durante o nascimento. E quando o bebê tem um tipo sanguíneo diferente da mãe, por exemplo, o bebê é tipo sanguíneo B e a mãe é A, os tremores podem ocorrer.

Após o nascimento do bebê, o corte é fechado e a mulher costuma receber uma injeção de ocitocina para encorajar o útero a contrair e reduzir a perda de sangue. Todo o procedimento costuma durar entre 40 e 50 minutos.

O que você sente durante a cesárea

Durante este tipo de parto, a mulher de fato não irá sentir dor, pois estará sob efeito de anestesia. Ela pode sentir no máximo a sensação de puxar e certa pressão.  Porém, no pós-parto isto muda e a mulher costuma sentir dor.

O que acontece após a cesárea

Após este parto, você irá passar da sala de cirurgia para a sala de recuperação. Seu bebê, inclusive, pode acompanha-la para esta outra sala. É muito importante que o recém-nascido passe sua primeira hora de vida com a mãe.

Nestas primeiras horas após a cirurgia os médicos vão te acompanhar de perto. E provavelmente será oferecido a você: remédios para dor para reduzir a dor após esta cirurgia; medicamentos para reduzir o risco de trombose. Água e comida podem ser oferecidas algumas horas após o parto, o tempo será determinado pelo seu médico.

A sonda geralmente é removida da sua bexiga após 12 a 18 horas depois do parto. Neste pós-parto você também irá receber orientações sobre amamentação.

Nas primeiras horas após o procedimento a mãe pode sentir enjoos e coceira. Nos dias após este parto a mulher provavelmente irá sentir dor. Além disso, ela também pode ter gases, constipação e sentir bastante cansaço.

Como aliviar a dor no pós-parto cesárea

Com algumas atitudes simples, é possível reduzir a dor no pós-parto cesárea. Primeiro, assim que seu médico liberar, tente caminhar. Caminhe dentro dos seus limites, mas faça isso, pois esta atitude contribui para a redução da dor e também ajuda a evitar/tratar a constipação.

Colocar uma almofada ou algum outro suporte no seu abdômen quando for tossir, rir ou espirrar também ajuda a reduzir a dor. Converse com seu médico sobre qual medicamento contra dor você pode utilizar no período de recuperação. Na hora da amamentação, alguns cuidados também ajudam a evitar a dor.

Sinais de problemas após a cesárea

Apesar da dor e outros incômodos após esta cirurgia serem comuns, existem algumas condições que podem indicar que houve complicações no seu pós-parto. Diante delas é essencial buscar ajuda médica. São elas:

  • Febre;
  • Dor ao urinar;
  • Corrimento vaginal com um cheiro ruim;
  • Maiores dificuldades para evacuar;
  • Dor, inchaço ou vermelhidão nas pernas;
  • Se a dor na região do corte da cesárea de repente piorar;
  • Problemas para respirar.
  • O mito da cesárea sem dor.

Recuperação após a cesárea

Após este tipo de parto é preciso ter alguns cuidados importantes. Você provavelmente terá que ficar 8 horas sem se levantar após a cirurgia. Nos dias depois do procedimento, é importante que a mulher tenha uma boa alimentação, hidratação, faça repouso e não pegue peso ou faça esforço.

Cicatriz da cesárea

Também é necessário ter alguns cuidados para garantir a boa cicatrização no pós-parto cesárea.  “O cuidado varia de acordo com o tipo de ponto que foi dado, mas de um modo geral, é preciso manter o local seco, limpo e dependendo do tipo de material, tem que fazer curativos diários ou não. Vai depender de cada equipe médica”, afirma o ginecologista obstetra Marcos Arcader, do Hospital Adventista Silvestre.

Barriga após a cesárea

Após a cesárea é normal parecer que você ainda está grávida. A maioria das mulheres perde cerca de seis quilos durante o parto, incluindo o peso do bebê, placenta e líquido amniótico. O restante do peso você irá perder com o passar do tempo, especialmente conforme seu corpo perde o líquido acumulado na gestação.

Além disso, uma alimentação saudável, exercícios assim que for liberado e a amamentação contribuem muito para a perda do peso da gestação.

Fontes consultadas:

KidsHealth

Clínica Mayo

Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido