Cinta no pós-parto: cuidados ao usar e mais

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Saiba tudo sobre o uso da cinta no pós-parto, veja cuidados ao usar e muito mais

As cintas no pós-parto são comuns, mas será que elas realmente são necessárias? “A cinta não é terapêutica, não vai fazer com que o organismo volte ao normal mais rápido, ou que a cicatrização seja mais rápida”, observa o ginecologista obstetra Marcos Arcader, do Hospital Adventista Silvestre.

Porém, a cinta no pós-parto pode ter outras utilidades. “É recomendada para dar mais segurança para a mulher se locomover, levantar, sentar e andar. Com a cinta, o abdômen vai ficar mais firme e assim ela vai se sentir mais segura. Pessoas que não tem condições financeiras para comprar a cinta, usam faixas ou vivem bem sem nada. A cinta não é algo obrigatório”, conclui Arcader.

Cadastre-se

É importante saber que após o parto, o útero da mulher fica menor e portanto mais solto dentro do abdômen. Isto pode causar um desconforto e certa insegurança para a mulher, por isso o uso da cinta proporcionaria maior segurança e firmeza.

Por outro lado, há médicos que acreditam que o uso constante da cinta não permite a movimentação dos músculos e atrapalha o fluxo sanguíneo, estes dois fatores dificultariam a recuperação do corpo. Portanto, o melhor a fazer é consultar o seu médico sobre se é melhor ou não utilizar a cinta.

Caso a mulher decida adquirir a cinta, saiba que costuma-se orientar que a mamãe utilize a cinta por cinco meses, sendo que alguns especialistas dirão que as mulheres que realizaram parto normal não devem utilizar a cinta no primeiro mês após o parto. Mulheres que fizeram cesárea e que apresentam inflamação ou sangramento acima do normal no local do corte também devem evitar o uso da cinta, pois a região precisa ficar arejada.  Também não é interessante colocar a cinta nos primeiros dias após o parto, isto porque nesta fase é comum a mulher ter gases e um pouco de intestino preso, de modo que o uso da cinta causaria desconforto.

Ao colocar a cinta, saiba que ela não deve ficar apertada ou causar dor na mulher. O certo é que ela proporcione firmeza e segurança. Uma cinta apertada demais pode causar problemas de circulação. A cinta deve cobrir a cicatriz das mulheres que fizeram cesárea,  caso ela fique abaixo da cicatriz  pode ocorrer inchaço no local.

Opte pelos modelos que vão da virilha até metade do abdômen. Aqueles que cobrem também as pernas podem ser pouco práticas. Cintas com velcro permitem um ajuste mais fácil. Opte pelos modelos feitos com tecidos mais naturais, que diminuem o risco de alergias, e que não tenham arames.

Veja mais

adriana-rodrigo-bebe

Deixe uma resposta

Comentários