Cinta pós-parto: Funciona? Quando usar? Quais os cuidados?

Por: Bruna Romanini

cinta pós-parto

Foto: Getty Images – Exemplo de uma cinta pós-parto, saiba tudo sobre este assunto

Esclareça todas as suas dúvidas sobre a cinta pós-parto, veja os cuidados ao usar e mais

As cintas pós-parto são muito usadas, porém, elas geram diversas dúvidas entre as mães. A seguir, vamos esclarecer todas essas questões.

Cinta pós-parto funciona?

A cinta pós-parto pode ajudar o corpo em alguns aspectos, mas em outros não. Por exemplo, ao contrário do que muitos acreditam, a cinta NÃO irá ajudar o corpo a voltar ao que era antes da gestação mais rapidamente. Ou seja, esta peça não contribui para o emagrecimento e também não faz a barriga voltar mais rapidamente.


Cadastre-se

A cinta também NÃO irá contribuir para uma melhor cicatrização, caso a mulher tenha tido um parto cesárea.  “A cinta não é terapêutica, não vai fazer com que o organismo volte ao normal mais rápido, ou que a cicatrização seja mais rápida”, observa o ginecologista obstetra Marcos Arcader, do Hospital Adventista Silvestre.

Porém, a cinta pós-parto pode ter outras utilidades. “É recomendada para dar mais segurança para a mulher se locomover, levantar, sentar e andar. Com a cinta, o abdômen vai ficar mais firme e assim ela vai se sentir mais segura. Pessoas que não tem condições financeiras para comprar a cinta, usam faixas ou vivem bem sem nada. A cinta não é algo obrigatório”, observa Arcader.

Como funciona a cinta pós-parto?

A cinta pós-parto consiste em uma peça de roupa íntima que é feita com um tecido mais firme. Por isso, ao vesti-la ela irá proporcionar a sensação de maior firmeza na região do abdômen. Esta cinta é utilizada no período do pós-parto, puerpério, com o principal objetivo de proporcionar maior firmeza para algumas mães.

Durante o período do pós-parto, muitas mulheres podem acabar sentindo a barriga meio “solta”, digamos assim. Isto ocorre especialmente porque leva algum tempo para a barriga voltar ao tamanho de antes da gestação, e como não há mais o bebê, algumas mamães podem sentir um certo vazio.

Portanto, conforme mencionado acima, uma das principais funções da cinta é fazer com que esta sensação de “vazio” ou do abdômen meio “solto” diminua.

É importante ter em mente que ao contrário do que muitos acreditam, a cinta pós-parto NÃO faz o corpo voltar a forma mais rápido e NÃO contribui para a perda do peso ganho na gestação.

Prós e contras da cinta pós-parto

É importante saber que após o parto, o útero da mulher fica menor e, portanto mais solto dentro do abdômen. Isto pode causar um desconforto e certa insegurança para a mulher, por isso o uso da cinta proporcionaria maior segurança e firmeza.

Por outro lado, há médicos que acreditam que o uso constante da cinta não permite a movimentação dos músculos e atrapalha o fluxo sanguíneo, estes dois fatores dificultariam a recuperação do corpo. Portanto, o melhor a fazer é consultar o seu médico sobre se é melhor ou não utilizar a cinta e também sobre qual tipo de cinta utilizar.

Como usar a cinta pós-parto?

Ao colocar a cinta pós-parto, saiba que ela não deve ficar apertada ou causar dor na mulher. O certo é que ela proporcione firmeza e segurança. Uma cinta apertada demais pode causar problemas de circulação. No caso das mulheres que passaram por uma cesárea, é recomendado que a cinta cubra a cicatriz. Saiba que se a peça ficar abaixo da cicatriz pode ocorrer inchaço no local.

Quando usar a cinta pós-parto

Caso a mulher decida adquirir a cinta, saiba que costuma-se orientar que a mamãe utilize a cinta por cinco meses, sendo que alguns especialistas dirão que as mulheres que realizaram parto normal não devem utilizar a cinta no primeiro mês após o parto. Mulheres que fizeram cesárea e que apresentam inflamação ou sangramento acima do normal no local do corte também devem evitar o uso da cinta, pois a região precisa ficar arejada.  Também não é interessante colocar a cinta nos primeiros dias após o parto, isto porque nesta fase é comum a mulher ter gases e um pouco de intestino preso, de modo que o uso da cinta causaria desconforto.

Modelos de cinta pós-parto

Existem diversos modelos de cinta pós-parto. Veja os principais a seguir e depois confira quais são os melhores:

Cinta com busto para amamentação: Este tipo de cinta já vem com o sutiã para amamentar. Existem dois tipos desta cinta com busto para amamentação, uma é estilo body e vai até a altura da virilha. Já a outra é um macaquinho, ou seja, tem um short.

Veja os exemplos a seguir:

cinta pós-parto- amamentação

Foto: Reprodução – Exemplos de como são cintas pós-parto com busto para amamentação

Cinta sem pernas: Outro modelo de cinta muito comum é este similar a uma calcinha só que com a cintura mais alta. Este tipo de cinta pode subir até a altura do umbigo ou chegar até onde começam os seios.

Veja os exemplos a seguir:

cinta pós-parto sem pernas

Foto: Reprodução – Exemplos de como são cintas pós-parto sem as pernas

Cinta com pernas: Este tipo de cinta costuma ir até quase a altura dos joelhos e ela pode chegar até o umbigo ou até onde começam os seios.

Veja os exemplos a seguir:

Foto: Reprodução – Exemplos de como são cintas pós-parto com as pernas

Cinta com velcro: Este tipo de cinta na verdade é semelhante a uma faixa grossa que se fecha na região do abdômen com um velcro.

Veja os exemplos a seguir:   

Foto: Reprodução – Exemplos de como são cintas pós-parto com velcro

Qual modelo de cinta pós-parto escolher?

Ao comprar uma cinta pós-parto, o melhor é optar pelos modelos que vão da virilha até metade do abdômen. Aqueles que cobrem também as pernas podem ser pouco práticas. Saiba que cintas com velcro permitem um ajuste mais fácil.

É importante escolher modelos feitos com tecidos mais naturais, que diminuem o risco de alergias, e que não tenham arames.

Cuidados ao usar a cinta pós-parto

É preciso ter alguns cuidados importantes na hora de vestir a cinta pós-parto. O primeiro deles é saber quando fazer isso. No caso de mulheres que passaram por um parto normal, a recomendação é esperar um mês para começar a vesti-la.

Já mães que passaram por uma cesárea, também devem evitar a cinta nos primeiros dias após o parto. A peça também não deve ser usada quando os pontos da cesárea estiverem sangrando e/ou estiverem infeccionados. No caso de mães que passaram por uma cesárea, também é importante que a cinta cubra a cicatriz.

Com relação ao tamanho da cinta, é importante que você se sinta confortável ao usar a peça. Por isso, não compre cintas muito apertadas.

Benefícios da cinta pós-parto

O benefício mais relevante da cinta pós-parto é proporcionar maior segurança para a mulher realizar atividades do dia a dia, como levantar, sentar, andar, etc.

Porém, é importante deixar claro que o uso da cinta ou não é uma escolha muito pessoal. Para mulheres que estão sentindo maior insegurança na região do abdômen ela pode ser uma boa alternativa, mas se este não é o seu caso, não é necessário vestir a peça.

Preço da cinta pós-parto

O preço da cinta pós-parto pode variar bastante. Enquanto algumas custam R$40,00 há também as que custam R$350,00! Isto vai depender da marca e do tipo de cinta que você adquirir.

Veja mais

debora nascimento jose loreto
thyane dantas wesley safadão
Rodrigo Santoro

1 responder

Os comentários estão fechados.

Deixe uma resposta

Comentários